quarta-feira, 30 de junho de 2010

Falta biblioteca em escolas públicas - Dificulta o acesso a leitura

Autor: Redação JL
Falta biblioteca em escolas públicas

Nem metade delas tem este espaço; Estado prefere salas de leitura

Para brincar, os parquinhos. Para comer, a cantina. E para ler? Só um cantinho reservado na sala de aula. Pesquisa feita pelo Jornal de Limeira mostrou que menos da metade das escolas da rede pública de Limeira possui biblioteca. O levantamento foi realizado em 78 escolas municipais e 30 estaduais. Das 108 unidades públicas, apenas 51 (ou 47,2%) têm biblioteca.

O déficit é predominante na rede municipal. De 78 escolas de educação infantil e ensino fundamental, só 26 (ou 33%) possuem uma sala específica dedicada à leitura. Treze manifestaram ter um "pequeno acervo" de livros. Isso pode ser explicado, em parte, por conta da idade dos alunos. Os centros infantis (CIs) são destinados a crianças de 0 a 3 anos. Ao todo, são 17 CIs em Limeira.

O incentivo à leitura se inicia de forma mais forte a partir dos 4 anos, quando a criança entra na educação infantil e começa a ser alfabetizada.

O próprio secretário de Educação de Limeira, Antonio Montesano Neto, admite um outro problema. Segundo ele, as escolas não possuem bibliotecas por conta da falta de espaço específico para a instalação destes espaços, além da questão da idade das crianças, que "ficariam perdidas frente a tantos livros", diz. "As novas escolas estão recebendo salas específicas para as bibliotecas", complementa.

Da rede municipal, as escolas que trabalham com educação infantil e ensino fundamental juntos são as que mais têm o espaço específico para o acervo de livros - são 18 bibliotecas em 37 escolas. Por meio da Assessoria de Comunicações da prefeitura, a secretaria informou que as escolas dispõem de cantinhos de leitura. "Dependendo da escola e da demanda, é necessário optar pelo uso da sala para aulas, mas todas as escolas possuem acervo de livros, independentemente do espaço físico", cita.

Ainda conforme a assessoria, as escolas receberam 5.280 livros só este ano. Serão entregues outras 19 mil unidades, que já foram compradas. Montesano explica que todas as classes recebem livros iguais e atuais. Duas coordenadoras de escolas municipais ouvidas pelo Jornal - e que preferiram ficar no anonimato - elogiaram os livros enviados pela secretaria. Ambas, porém, comentaram que nas escolas onde dão aulas não há um espaço específico para a biblioteca.

A situação é diferente nas escolas estaduais. Das 30 unidades da rede em Limeira, 25 (ou 83,3%) possuem bibliotecas. A Secretaria de Estado da Educação, porém, prefere falar em "salas de leitura". A nomenclatura é mais do que um detalhe. "Possuímos salas de leitura coordenadas por professores readaptados. As salas não exigem bibliotecários formados", informa por meio da assessoria de imprensa.

Das 30 escolas estaduais, apenas quatro (13,3% do total) informaram ter bibliotecários. Na rede municipal, são sete (9%). No lugar de criar bibliotecas, a secretaria estadual aposta na distribuição de livros aos estudantes (veja nesta página).

Estímulo ao aluno, diz pedagoga

Para a pedagoga e professora do 1º ano do ensino fundamental Solange Cristina de Oliveira Hergert, os cantinhos de leitura são eficientes no incentivo ao hábito de ler, mas as bibliotecas estimulam mais o aluno por conta da variedade de títulos. Além disso, as crianças criam o hábito de freqüentar bibliotecas - o que é positivo.

"Sabemos que despertar o gosto pela leitura é complicado, tem que tentar alguns macetes para estimular", diz Solange. Livros com letras grandes e ilustrações ricas são os mais indicados na alfabetização dos alunos. Em uma biblioteca freqüentada por estudantes de diferentes séries, deve haver livros de níveis variados. "Por mais que seja infantil, os professores precisam orientar as crianças para ter contato com aqueles feitos para suas idades", afirma.

A pedagoga salienta que ir à biblioteca traz benefícios, além da leitura em si. "Levar as crianças para a biblioteca ensina alguns valores - como respeito, silêncio e noções de comportamento", explica Solange.

Estado entregará livros

Os 3,3 milhões de estudantes de 5ª à 8ª série e de ensino médio da rede estadual ganharão até o fim deste ano três livros infanto-juvenis de escritores brasileiros. O projeto é da Secretaria de Estado da Educação.

Os alunos receberão também um atlas geográfico e um dicionário (a ser entregue no próximo ano). Estudantes do 2º e 3º anos do ensino médio receberão dicionários bilíngüe. Ao todo, serão 9,9 milhões de livros, 3,3 milhões de dicionários e 3,3 milhões de atlas.

A secretaria também enviará às escolas de 5ª à 8ª série e ensino médio uma coleção de livros temáticos.
Para crianças de 7 a 10 anos, há outro projeto. Até o fim do ano, os 230 mil alunos de 1ª série do ensino fundamental terão nas salas de aula um "cantinho da leitura" com livros infantis, almanaques e revistas.

São 2,2 milhões de exemplares adquiridos pela secretaria. A iniciativa - que inclui ainda a disponibilização de um globo terrestre nas classes - será implantada posteriormente nas salas das outras séries - 2ª, 3ª e 4ª.

Um comentário:

  1. Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Ingles. Melissa
    [

    ResponderExcluir