segunda-feira, 1 de agosto de 2016

“Ler??? Eu curto!”, campanha interna da RFS de incentivo à leitura completa dois anos



Bobina de Livros é passagem obrigatória após o almoço dos funcionários na empresa

Há dois anos, a RFS - Radio Frequency Systems, especialista global de infraestrutura de comunicação sem fio e broadcast, começou uma campanha interna de incentivo à leitura chamada “Ler??? Eu curto!” de doação e retirada de livros de vários gêneros, entre os próprios funcionários. Diariamente, por volta de 20 livros são manuseados e levados para leitura pelos funcionários da Bobina de Livros, estante criativa localizada na saída do refeitório. Não há necessidade de anotar os empréstimos e a campanha se mantém por si só.

Há mais de um ano, Silvano Rodrigues, da área de manutenção predial, pega em média dois livros por mês para ler e levar para os seus dois filhos, Leonardo de 13 anos e Laíse Vitória, de 9 anos. “Antes eles ficavam muito nos joguinhos de videogame e celular, mas hoje se dedicam diariamente à leitura. Isso os ajudou a melhorar as notas da escola, que passaram de 6 e 6,5 para 8 e 9 de média”, acredita Silvano.

Já Vicente de Medeiros, da área de produção de jumpers, aproveita para levar títulos infanto-juvenis para o filho de 14 anos. “Como Ruan já gostava de ler, eu comecei a levar livros para ele; mas logo eu também comecei a pegar alguns títulos que achava interessante”, diz Vicente. Como a campanha é uma via de duas mãos, doação e retirada, Vicente contribui. “Uma vez fiz uma limpeza em casa e doei de uma vez só mais de 30 livros. Eu fiquei bastante curioso se os meus colegas teriam interesse nos títulos que doei e passava diariamente na Bobina de Livros para ver”, lembra Vicente. Para a alegria dele, em menos de uma semana não restava um único exemplar.

“Alguns livros são bem disputados, como por exemplo, Em nome da Rosa, de Umberto Eco. Há fila de espera”, afirma Ademilson Fernandes, que trabalha na Expedição. A mulher dele, Vera Lúcia, pede constantemente livros para ele, e foi a partir daí que ele começou a se interessar e criou o hábito da leitura. Mas livros de inglês e de informática também são bem disputados, por conta de a empresa ter o inglês como idioma oficial. Gerson da Silva diz que estes são os seus títulos preferidos.

Mas há quem já cultivava o hábito da leitura, como Josimar Oliveira, da Expedição. A campanha da RFS o alegrou bastante, pois pode ter acesso a vários títulos que queria ler. “Consegui pegar alguns livros didáticos de português, o que me ajudou bastante a melhorar a redação”, conclui.

Os livros estão próximo ao refeitório, lugar de passagem dos funcionários. “A Bobina de Livros está muito bem localizada e o formato tem ligação direta conosco, não é uma estante de livros”, concordam os funcionários da RFS.  “Eu acredito no incentivo à leitura, como fonte de conhecimento. Um livro abre novos mundos e nos transporta em viagens incríveis. A leitura traz cultura, exercita a imaginação e expande o vocabulário. A campanha começou com 390 livros de diversos gêneros, aos quais foram acrescentados diversos novos títulos e hoje ela anda por si só. Estamos satisfeitos com o resultado de uma ação simples que transforma a vida de nossa gente e de seus familiares”, celebra Pilar Lopes, gerente de comunicação e marketing, da RFS.

Sobre a RFS
A RFS é fabricante mundial de soluções integradas e completas para comunicação sem fio (wireless). A empresa oferece ao mercado projetos inovadores e serviços customizados que abrangem comunicação móvel, micro-ondas, cobertura indoor e broadcast. Também dispõe de completa linha de cabos especiais (Linha kmP), indicados para automação industrial e comercial, áudio e vídeo, sonorização profissional, sistemas de segurança e satélites, dentre outras aplicações.

No Brasil, onde está há 40 anos, a empresa possui uma de suas dez unidades fabris e que responde pela demanda de toda a América Latina. A empresa pertence ao grupo RFS, que conta com 32 subsidiárias em todo o mundo e tem, entre seus clientes, operadoras de telefonia móvel e fixa, OEMs, instaladores, integradores de sistemas, emissoras de rádio e tv, utilities (energia, governo, minas e outros), distribuidores e revendas.

Acompanhe a RFS no Twitter @RFSworld

Fonte: RFS - Radio Frequency Systems

quarta-feira, 22 de junho de 2016

13 aplicativos indispensáveis para quem ama ler

Por Caio Delcolli, de HuffPost Brasil

De aplicativos gratuitos a serviços por assinatura, as plataformas digitais podem ser super úteis para amantes de livros.
Dicionários para verificar o significado de palavras novas, "streaming literário", quadrinhos digitais - todas essas possibilidades você encontra abaixo, nesta seleção de aplicativos que vão te ajudar a ampliar ainda mais sua vida de devorador de livros.

Para conhecer o significado de palavras novas


13 aplicativos indispensáveis para quem ama ler 1Reprodução
Quem nunca precisou interromper a leitura para verificar o significado de uma palavra? O dicionário da língua portuguesa Priberam pode te ajudar nisso. Se você estiver lendo em outras línguas, o Google Tradutor quebra seu galho. Ambos são práticos no uso.
Priberam: Android/iOS
Google Tradutor: Android/iOS

Para organizar suas leituras


13 aplicativos indispensáveis para quem ama ler 2Reprodução
A satisfação de ter as leituras todas organizadinhas é sem igual para quem ama ler. As redes sociais Goodreads (em inglês) e Skoob (em português) são ótimas para isso. Nelas, você pode marcar os livros que já leu, dar uma nota a eles e marcar aqueles (incontáveis) que você quer ler. No Goodreads você encontra desde uma edição de 1951 de O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D. Salinger, até lançamentos ainda inéditos. O Skoob, por sua vez, é útil para encontrar títulos nacionais. Ambas as redes também oferecem informações a respeito dos livros: data de publicação, quantidade de páginas, editora responsável e por aí vai.
Goodreads: Android/iOS
Skoob: Android/iOS

Para salvar aqueles textos que você ainda não leu


13 aplicativos indispensáveis para quem ama ler 3Reprodução
Se além de livros e quadrinhos você curte ler na internet notícias, blogs, colunas etc, a sugestão é usar o Pocket. Nele, você pode salvar suas leituras, seguir amigos e usar a extensão dele para desktop, de onde você pode salvar links que estarão disponíveis quando acessar o app pelo celular. Boa opção para organizar os links de seu interesse.
Pocket: Android/iOS

Para ouvir livros


13 aplicativos indispensáveis para quem ama ler 4Reprodução
Quem tem deficiência visual ou pessoas que prefiram ouvir audiolivros a lê-los podem usar o Ubook. O aplicativo funciona como uma "Netflix de audiolivros": você assina o serviço e tem acesso a uma extensa gama de leituras. Revistas, literatura clássica e contemporânea, livros religiosos, não ficção, podcasts estão no acervo, por exemplo. O uso é prático e, caso você queira ouvir prévias dos livros antes de assinar, basta selecionar a opção.
Ubook: Android/iOS

Só para ler mesmo


13 aplicativos indispensáveis para quem ama ler 5Reprodução
Se você curte ler em plataformas digitais, o Scribd e o Kindle Unlimited podem ser boas opções. Ambos os serviços também são como "Netflix de livros digitais": assine e tenha acesso a uma imensidão de possibilidades de leituras. A diferença entre ambos, basicamente, é que, com o primeiro, você tem acesso a livros em inglês, e com o segundo, em língua portuguesa. Se você quiser testá-los antes de aderir a qualquer assinatura, os dois oferecem períodos gratuitos de uso.
Scribd: Android/iOS
Kindle Unlimited: Kindle/Android/iOS

Para incentivar as crianças a lerem


13 aplicativos indispensáveis para quem ama ler 6Reprodução
O Leiturinha Digital pode ser uma boa ajuda para pais que querem incentivar os filhos a lerem. O catálogo do serviço tem livros para crianças de zero a 12 anos e eles oferecem curadorias feitas por psicólogos, pedagogos e pais. Conteúdos audiovisuais elaborados para colaborar com o desenvolvimento dos pequenos e assinaturas que permitem receber kits de livros em casa também fazem parte do Leiturinha Digital.
Leiturinha Digital: Android/iOS/Desktop

Para ler quadrinhos


13 aplicativos indispensáveis para quem ama ler 7Reprodução
É claro que não podíamos nos esquecer deles. Há vários aplicativos de serviços que oferecem muitas opções de leitura, então, selecionamos para você quatro dos mais elogiados e usados. Entre eles, apenas o Cosmic, infelizmente, é o único com títulos em língua portuguesa - o serviço é brasileiro. Se você encara leituras em inglês, os outros podem cair como uma luva - o acervo deles é enorme.
Quadrinhos:
Cosmic: Android/Mac OS X/Windows/Linux
ComiXology: Android/iOS/Kindle
Mangás:
Crunchyroll: Android/iOS
Manga Rock: iOS

Fonte: Superinteressante

sábado, 7 de maio de 2016

Amor de mãe: uma história sobre carinho, dedicação e livros

“Todas as noites, antes de dormir, apesar do cansaço por ter trabalhado o dia todo, ela me contava histórias”. A escritora Sônia Barros, uma das colaboradoras no projeto Leia para uma criança, relata como sua mãe adotiva contribuiu para o despertar do interesse pela leitura ;-)

Por Sônia Barros
Este depoimento é uma homenagem à minha mãe adotiva, mulher especial que se fez ponte entre mim e o mundo maravilhoso dos livros. Além de leitora apaixonada, eu acabei me tornando escritora. E quando me perguntam se alguém me influenciou nessa escolha profissional, a resposta sempre causa espanto e emoção.
Minha história pessoal é prova viva de que ler para uma criança pode, sim, mudar o mundo. O meu foi totalmente transformado e iluminado por esse ato de amor, ritual inesquecível que marcou minha infância e minha memória afetiva.
Fui adotada aos três meses de idade por uma mulher solteira, que se fez minha família. Além de me salvar a vida, foi essa mulher — que mal frequentou escola e trabalhou a vida toda como empregada doméstica — quem plantou em mim a semente do amor pelos livros.
Todas as noites, antes de dormir, apesar do cansaço por ter trabalhado o dia todo, ela me contava histórias. Algumas sabidas de cor, da memória; outras, lidas de um livro; outras, ainda, inventadas. Muitas vezes, no meio de uma história ou poema, minha mãe acabava pegando no sono. Mas eu a chamava e ela, então, novamente me oferecia o céu de seus olhos e de sua voz.
E não era apenas à noite que ela me encantava com histórias, poesia e cantigas. Durante o dia, também, enquanto lavava, cozinhava, passava… E ainda mais: nas horas de folga do trabalho, me levava à Biblioteca Municipal de Santa Bárbara d´Oeste, cidade do interior de São Paulo, onde cresci e moro até hoje.
Mesmo sem ter livros meus em casa, pois não podíamos comprar, havia sempre um ou dois emprestados da biblioteca. Apesar da dificuldade em decifrar as palavras, minha mãe lia para mim. Lembro-me, principalmente, dos livros de poesia. Foi assim que conheci alguns dos grandes poetas que me acompanham até hoje: Cecília Meireles, Manuel Bandeira, José Paulo Paes…
Aos oito anos de idade ganhei um prêmio por ser a criança que mais retirava livros da biblioteca. E então pude levar para casa um livro só meu, que não precisaria devolver depois. Foi como ganhar um tesouro.
Nessa época, já alfabetizada, eu também lia para minha mãe. E ela sempre me ouvia com atenção, valorizando aquele momento tão especial. Seu olhar era de afeto e estímulo!
O livro era meu brinquedo preferido, caixa-surpresa que me fazia sonhar. Hoje, sou eu quem confecciono caixa-surpresa para que outras crianças possam sonhar. E ofereço ao meu filho o mesmo presente precioso que recebi de minha mãe, essa mulher que não me gerou, mas amparou-me na queda e cultivou minhas asas.
Fonte: Itaú